Você acha que aliança de compromisso é importante no Namoro?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Agradeço aos amigos que continuam visitando, ando deveras muito atarefada mas por favor não deixem de entrar e visitar em breve um novo assunto ok!!!
Podem comentar as postagens antigas tem assuntos bastante pertinentes ai...
aqueles que quiserem contar sua história estejam a vontade, depois copiarei e postarei com destaque!!
Valeu galera

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Meus amigos me desculpem em breve atualizarei o blog e trarei novas postagens!!!
Beijos

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

  • fLORES...

  • BOMBONS...

  • bEIJOS...

  • LIGAÇÕES APENAS PARA OUVIR A VOZ DA AMADA...

  • CARTAS...

  • JURAS DE AMOR...

ESTES SÃO HABITOS DE UM HOMEM ROMANTICO, OU ALGUNS DELES, INFELIZMENTE ESTE CONJUNTO DE ATITUDES ESTA CADA VEZ MAIS DIFICIL DE SER IDENTIFICADOS EM UM HOMEM...

ENTÃO AQUI FICA A PERGUNTA...

AINDA EXISTEM HOMENS ROMANTICOS????

Homens romanticos ainda existem

Oi Galera!!!!
Assim como prometido ai vai o novo tema da semana
HOMENS ROAMNTICAS AINDA EXISTEM??
COMENTEM
OPNEM
FIQUEM A VOTADE
Seguidora nova
KATHELLEN
Seja bem vinda
Gente...
Desculpa ai a demoraaaa
Mas hoje eu prometo novo tema!!!
Beijos e não deixem de comentar

domingo, 31 de outubro de 2010

sábado, 30 de outubro de 2010

Em Breve novo tema galera
comentem ai

quarta-feira, 27 de outubro de 2010



Trair, é arrancar o coração da pessoa que lhe ama, vc ja pensou nisso??



Sofremos quando amamos
Sofremos quando perdemos
Sofremos quando deixamos
Sofremos ainda mais quando somos traidos... ou traidas no caso das mulheres, ai é muito mais dificil entender... A mulher se entrega no relacionamento amorosoe por isso a existencia de uma traição pode ser fatal...
Por que não pensa-se no outro no ato da traição??


Quando não flagramos o ato da traição fica mais facil perdoar??


OPS... Traição??
Quando somos traídos a culpa é nossa??

Juras de Amor evitam Traição?

Traimos por que deixamos de amar... Ou Deixamos de amar por isso traimos???


terça-feira, 26 de outubro de 2010

É possivel trair pelo computador?


Galera.... Comentem ai...



Taição Virtual, tambem é traição???
O MUNDO VIRTUAL está cheio é convidativo, uma janela para outros lugares, possibilidades, novidades. Arruma-se emprego, faz-se compras, vende-se, aluga-se, paga-se contas, enfim...
Nos comunicamos com o mundo e entre essas comunicações conhecemos e recontramos pessoas...
Em todo tempo estamos trabalhando e lidando com maquinas, porem a frente delas existem pessoas, que sofrem, sentem, sonham, e buscam encontrar diversas coisas... Aí deixamos de lidar com o virtual e passmos a lidar com o real, mas o que fazer quando estes sentimentos tornam-se atrativos, a ponto de questionarmos se a pessoa que esta proxima é realemnte melhor do que a que por muitas vezes esta a km de distancia.
Amor virtual tambem é amor????
E quanto a traição???
Pode ser considerada??
Comente, queremos saber sua opnião

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Como evitar uma traição?

Não existe uma receita, uma formula, o ponto principal é evitar o tédio e a rotina, mantendo a chama do amor e do interesse sexual. O dialogo é muito importante, falar principalmente sobre as dificuldade e divergências, não permitindo assim o acumulo de magoas, ressentimentos e frustrações.

Qual é a melhor companhia nessa situação?

Nesses momentos nada como um ombro amigo, alguém em que você confia. Mas muitas vezes, quando se trata de superar uma infidelidade, ou até mesmo uma dor muito grande gerada pela perda do parceiro,é melhor buscar ajuda profissional do que os conselhos de um amigo.

Um psicólogo, através da terapia, poderá proporcionar as condições, os recursos, a neutralidade e a experiência necessárias para superar o problema.
Homem trai mais que mulher? Por quê?

O que acontece é que os homens idealizam a mulher perfeita em todos os aspectos, e as mulheres desejam um homem que as ame, apóie e as ajude, colocando assim muita expectativa na relação o que pode gerar muita frustração e decepção, facilitando a traição. Homens e mulheres lidam com a questão da traição de formas distintas.

De uma forma geral o homem trai mais. Pode ser por questões ligadas ao sexo, por uma forte atração física, uma oportunidade inesperada e imperdível ou até mesmo por puro exercício de masculinidade.

Em uma sociedade predominantemente machista, os homens são educados para não desperdiçarem nenhuma oportunidade, provando assim que são capazes de seduzir qualquer mulher.

Por estes aspectos é que podemos dizer que geralmente a traição masculina não está ligada ao amor, raramente tem relação com questões afetivas e emocionais. No entanto a mulher quando trai, é por que de alguma forma a relação não vai bem, não a satisfaz, a motivação para a traição está mais ligada ao amor e ao afeto. Pode também haver a traição por vingança, por sentir que está sendo passada para trás.
Vale a pena continuar o namoro após uma traição?

Diante da constatação da traição, vale a pena, antes de tomar uma medida precipitada, de ter uma crise nervosa, conversar com o parceiro e esclarecer toda a situação. Se a traição aconteceu, é porque algo não vai bem na relação, está faltando alguma coisa.

A pessoa traída não deve nesse momento se sentir culpada e nem vítima da situação. O mais importante agora é descobrir o que levou o seu companheiro a agir dessa maneira. Escute o que ele tem a dizer e faça uma avaliação da situação, se vale à pena continuar ou não.

É muito difícil perdoar uma traição. Perdoar ou não depende de cada pessoa ou do tipo de relação que existe. Caso a decisão seja por perdoar e continuar o namoro, não relembre o assunto a cada discussão. Usar a traição sempre como arma em outras discussões só trará estresse e desgaste para a relação. Perdoar é esquecer.

Se não houve esquecimento, não houve perdão. Então, o melhor a fazer é terminar o relacionamento.
As traições se devem a essa nova realidade: onde as pessoas ficam sem compromisso?

Freud estava certo. O pai da Psicanálise escreveu que existe uma grande dificuldade no ser humano em integrar a sexualidade ao resto de sua vida, ao casamento e ao amor. Para muitas pessoas parece até que a vida se resume nessa questão: “Trair ou ser Traído”. Atualmente, a situação de “ficar”, de não ter compromisso, só vem a reforçar e a estimular esse comportamento.
Fui traída, e agora????
Muitas mulheres ja se fizeram esta pergunta, estar disconfiando abala qualquer relacionamento mas a descoberta e a afirmação de uma traição desmoronam muitos mundos....

E vc?

ja fo traido?

Conte sua história aqui

Estamos ansiosos


A fidelidade é um voto de lealdade que se faz quando duas pessoas vivem um relacionamento amoroso. Sendo assim, a traição se torna um tema de natureza complexa e delicada, pois leva a muitos sentimentos e ressentimentos, em especial no que diz respeito a uma quebra de confiança. “A notícia de uma traição pode provocar traumas profundos, até mesmo irremediáveis, dependendo do caso. Por outro lado, pode significar uma verdadeira oportunidade para crescimento e aproximação do casal que passa por uma crise”, avalia a psicanalista Karin Szapiro, de São Paulo.

É comum que um casamento passe por diversos ciclos ao longo de uma vida, com momentos em que os parceiros estão mais próximos compartilhando projetos comuns, como o nascimento de um filho ou a compra de um imóvel, e outros em que os parceiros estão mais ocupados com as próprias questões, vivenciando seus dramas e dificuldades particulares. “Existem vários motivos que podem estar por trás de uma traição: o desgaste de uma relação que acabou por se tornar um fardo; a perda de interesses comuns do casal; a falta de cumplicidade que cria um distanciamento; o desejo de sentir-se amado, pois parece não haver mais afetividade na relação; a busca de satisfação sexual quando há um descompasso no casal; a procura de algo novo ou uma aventura em uma fase mais depressiva da vida; baixa autoestima; desejo de vingança ou, até mesmo, uma paixão arrebatadora”, enumera.

É possível superar verdadeiramente uma traição? Sim, se ainda houver um sentimento verdadeiro de amor e o desejo de permanecerem juntos. Contudo, é preciso levar em consideração que a reconciliação pode ser vagarosa e difícil, pois algo foi quebrado e é preciso o amadurecimento dos parceiros para ultrapassar um momento tão doloroso e crucial na vida do casal. “Um grande esforço se faz necessário para que se possa lidar com as próprias mágoas e feridas, para reparar os danos e, por fim, para haver o restabelecimento do vínculo amoroso e da cumplicidade”, sugere Karin. Perdoar o outro, a si mesmo e dar uma oportunidade para um recomeço, a dois ou sozinha, é fundamental para a mulher atravessar esse momento difícil.
"Ainda que a traição agrade, o traidor é sempre odiado."
(Miguel de Cervantes)
Traição, como uma forma de decepção ou repúdio da prévia suposição, é o rompimento ou violação da presunção do contrato social (verdade ou da confiança) que produz conflitos morais e psicológicos entre os relacionamentos individuais, entre organizações ou entre indivíduos e organizações. Geralmente a traição é o ato de suportar o grupo rival, ou, é uma ruptura completa da decisão anteriormente tomada ou das normas presumidas pelas outros.
a TRAIÇÃO indica o fim de um relacionamento?
Mulher
Veja os 15 sinais que indicam a traição

Mudanças de comportamento são os primeiros sinais de que uma relação não está harmoniosaEnquete


Existem épocas em que o namoro ou o casamento pode não andar muito bem e a suspeita de que o parceiro esteja tendo uma aventura extraconjugal pode começar a rondar a cabeça
.

» Dê sua opinião

É provável que a vontade de revistar bolsos, o celular, procurar marcas de batom em colarinhos ou cheiro de perfumes diferentes nas roupas comece a aparecer, mas nem sempre é preciso ir tão longe para obter indícios de uma traição.

De acordo com a psicóloga Olga Inês Tessari, quando alguém comprometido arruma uma segunda pessoa existe um conflito interno e o sentimento de culpa acaba aparecendo, sendo assim, mudanças de comportamento e mesmo na personalidade são os primeiros sinais de que uma relação não está harmoniosa e que a possibilidade de logo haver uma traição é muito grande.

O detetive e diretor da Central Única Federal dos Detetives do Brasil, Edilmar Lima, que já atendeu em seu escritório aproximadamente 6,5 mil casos sobre adultério, explica que todas as pessoas podem se tornar um traidor em potencial.

"Cotidianamente vivemos uma disputa acirrada, é uma verdadeira batalha em prol de 'segurar' o nosso affair, tanto o homem quanto a mulher recebem 'cantadas' no seu dia-a-dia, no seu trabalho, na rua, na Internet, no mercado e em tantos outros lugares", afirma o detetive.

Segundo Edilmar Lima, infelizmente ainda não foi desenvolvido nenhum antídoto para evitar a traição, o que se pode tentar fazer é prevenir e policiar, mas sem deixar que isto se torne uma ameaça à relação.

15 atitudes que podem indicar que você está sendo traída:
1) O parceiro começa a dizer que precisa de um espaço só dele, sendo que antes o casal fazia tudo junto
2) Começam as reuniões com os amigos, onde a presença do outro é totalmente dispensável e imprópria
3) Ele está mais interessado em comprar roupas novas ou há momentos em que sai de casa mais arrumado para fazer ações banais, como "tomar um ar"
4) Seu parceiro há algum tempo começou a trabalhar até tarde e a ter reuniões no final de semana, mesmo sem mudança aparente no emprego
5) Ele tem se irritado ou fica estressado com facilidade
6) Mudança no comportamento: ele está mais amável do que o normal ou então você percebe que muitas vezes tem ficado como segundo plano
7) Sempre que está ao seu lado e o celular dele toca ele fica sobressaltado ou quer ficar sozinho para atendê-lo
8) Quando você telefona dificilmente consegue falar com ele
9) O apetite sexual dele mudou. O tempo todo está ocupado ou cansado demais para você ou então de uma hora para outra quer fazer sexo a todo instante com medo de que você perceba que ele tem outra
10) Ele começa a chegar sempre atrasado em compromissos
11) Ele tem crises excessivas de ciúmes
12) Quando chegam as contas, ele trata de pegá-las rapidinho para esconder gastos com telefonemas pelo celular ou com cartões de crédito em restaurantes, motéis, presentes para a amante
13) Ele critica outros infiéis
14) Ele se incomoda de ver você muito quieta, com medo que você desconfie da traição
15) Ele começa a achar tudo caro e costuma dizer com freqüência que vocês precisam fazer passeios mais baratos para economizar dinheiro
GALERA DESCULPEM PELA DEMORA, MAS EM BREVE ATUALIZAREI A ASSUNTO DA SEMANA!! AGUARDEM!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010




Elo Perfeito
Cassiane & Jairinho
Composição: Josué Teodoro


"Eu me lembro da sua dor na hora em que chorou
As tuas lágrimas eu enxuguei,
E eu senti a tua mão tocar o meu coração
É linda a nossa união, faz um elo perfeito
Quero estar do seu lado para sempre!
Foi Deus quem permitiu chegar aqui
E as pedras do caminho
Que tentaram impedir nossa vitória estão atrás
Foi Deus quem nos uniu porque Ele quis
E nada pode apagar a chama
Desse amor que nos inflama...
Até quando Deus quiser...
Só mesmo a morte pra quebrar... A nossa união!"



Mulheres e homens casando mais tarde

A taxa de nupcialidade legal, quando separada em grupos de idade e sexo, possibilita caracterização mais detalhada dos diferentes padrões de casamento no País. Em 2008, segundo a pequisa, a maior taxa entre as mulheres permaneceu no grupo de 20 a 24 anos (29,7‰), seguida pelo grupo de 25 a 29 anos (28,4%), superando a do grupo mais jovem, de 15 a 19 anos, que em 1999 vinha como a segunda mais alta. O estudo revela ainda que a taxa para aqueles a partir de 25 anos cresce em relação a 1999, enquanto para os mais jovens ocorre o inverso. Segundo o IBGE, "tal comportamento, em parte, resulta da elevação da idade média em que as mulheres estão formalizando suas uniões".

A taxa de nupcialidade legal masculina tem comportamento similar, mas o estudo mostrou que entre os homens a taxa mais elevada foi observada no grupo de 25 a 29 anos (28,4‰). Também para todos os grupos etários a partir de 25 anos, as taxas dos homens, em 2008, foram maiores que em 1999. Constatou-se ainda que, a partir dos 60 anos de idade, as taxas obtidas para as pessoas do sexo masculino são mais que o dobro que as das mulheres, o que identifica que os homens mais velhos procuram o casamento ou o recasamento, que é o casamento após o divórcio ou viuvez, mas que a mulheres.
Fonte
http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/brasil+atinge+a+maior+taxa+de+casamentos+dos+ultimos
+10+anos/n1237778111893.html

Amor X Casamento

Quem nunca achou que havia encontrado o amor de sua vida?? Sim aquele que nos faz tremer, que trás saudades, sorriso aos lábios, aceleração do coração... enfim, o amor pra casar... mas e quando este amor termina em casamento e o casamento termina com um divorcio de arrancar os cabelos... Isso significa que acabou o amor, ou o casamento destruiu o amor??

Será esta a razão pela qual as pessoas hoje desistem de um casamento formal?? Terá diferença??





Vote em nossas enquetes, participe de sua opinião a semana já esta acabando

domingo, 17 de outubro de 2010




"Até que a morte os separe." O efeito simbólico dessa frase, ouvida por milhões de casais em boa parte do mundo durante a cerimônia religiosa de casamento, costuma ecoar sobre o homem ou a mulher quando a união está ruindo ou quando o que resta da ilusão matrimonial é mantido a duras penas. É compreensível. Presume-se que a intenção da maioria ao assumir um compromisso como esse é ser feliz por longos anos. Embora já vá longe o tempo em que os casais mantinham o casamento mesmo que não restasse mais nada entre eles senão os hábitos, os filhos para criar, os netos para curtir ou contas a acertar, também é verdade que grande número de casais prefere continuar como está. Homem e mulher continuam utilizando recursos diversos para manter a casa em pé: são estratégias diretas, indiretas, um jeito particular de se esquivar ao diálogo, optar pelo silêncio, esperar pela melhor oportunidade de abordar certo assunto e, assim, atingir seu objetivo sem traumas. Para entender os estratagemas adotados por mulheres que se mantêm casadas durante 15 anos ou mais, as pesquisadoras Maria Lúcia Teixeria Garcia e Eda Terezinha de Oliveira Tassara decidiram investir num projeto que interessa a todos que são casados. Por três anos, elas trabalharam no projeto Da Utopia do Amor Romântico ao Cotidiano do Casamento . Lúcia é assistente social e professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Eda, co-autora e coordenadora científica do projeto, é doutora em Psicologia e docente do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho da Universidade de São Paulo (USP). Uma das conseqüências do trabalho das duas é a tese de doutorado de Lúcia, Problemas no Casamento: a Presença Utópica do Amor Romântico , que será defendida em fevereiro na USP.

A pesquisa de Eda e da Lúcia Garcia começou em 1997 e terminou em junho deste ano. A FAPESP financiou computador, impressora, a transcrição do material e programas de computador. O trabalho foi desenvolvido a partir de entrevistas com mulheres das classes média e alta da região da Grande Vitória, Espírito Santo. "As histórias narradas possuem um início, um meio e uma projeção de futuro - avaliada como potencialmente boa ou ruim - em função da aproximação ou distanciamento do projeto de convivência conjugal", diz Eda, casada há 40 anos. "Tais avaliações dizem respeito a expectativas e aspirações das entrevistadas que podem diferir ou não das análises feitas por seus cônjuges. Para algumas, a discrepância na avaliação da convivência conjugal foi um dado destacado por elas, o que fazia com que aquilo que indicavam como inadequado para elas não o fosse necessariamente para seus parceiros." Como avaliação geral pode-se dizer que, para as mulheres felizes e satisfeitas com o casamento, não há por que romper com um vínculo avaliado como adequado às suas expectativas. Entre as mulheres felizes, mas insatisfeitas com a relação conjugal, a separação se coloca como ameaça, embora, ao mesmo tempo, projetem alternativas de superação das dificuldades vividas. Entre as mulheres infelizes, a separação é vista como alternativa, mas evitada por elas ao avaliar os possíveis impactos sobre sua identidade.

Caminhos e estratégias - Não foi a primeira vez que o casamento despertou o interesse de Maria Lúcia. Casada há 14 anos, havia desenvolvido um trabalho de dissertação de mestrado na área de dependência química no Programa de Atendimento ao Alcoolista do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes, em Vitória. Na ocasião, em 1995, pesquisou o significado do casamento entre mulheres que viviam uma relação de conflito em razão do consumo abusivo de álcool por seus parceiros. Conversou com mulheres de renda familiar baixa que evidenciaram dois problemas principais: o da questão material, de sobrevivência, e o de saúde, vivido pelo companheiro e cuja busca da solução podia contar com a ajuda da companheira. A pesquisadora conferiu que, embora o número de casos de divórcios fosse significativo nesse grupo, o uso do álcool não significava, a rigor, que essas pessoas ficassem sós. Portanto, a questão da premissa da separação existia anteriormente à relação e a pergunta não era respondida: o que se constituía realmente em problema no casamento para as mulheres? Era natural que Lúcia voltasse ao tema e buscasse um caminho para descobrir as estratégias adotadas pelas mulheres para manter e lidar com o casamento. "Ao definir como temática de investigação o casamento, uma das ramificações possíveis do assunto com o qual vinha trabalhando até então, tive um misto de alegria e surpresa com o interesse que minha escolha causava nas pessoas", conta a pesquisadora. Em todos os segmentos sociais nos quais ela transitava sempre aparecia alguém com informações sobre uma "história interessante" de algum casal amigo. "Evidenciava-se, com isso, a reflexividade do tema, na medida em que falar, pensar, viver ou planejar manter uma relação afetivo-sexual faz parte da biografia de uma boa parte da população." Moradora de Vitória, ela preferiu se basear em exemplos extraídos da região por dois motivos: o crescimento populacional acelerado a partir da década de 70, em razão da instalação de empresas do ramo siderúrgico, e a composição da população da Grande Vitória, integrada por gente vinda de Minas Gerais, São Paulo e do Rio de Janeiro.

O projeto Da Utopia do Amor Romântico ao Cotidiano do Casamento nasceu a partir de um universo multifacetado. Foram escolhidas 20 mulheres, com idade média de 48 anos (mínima de 35 e máxima de 56), tempo médio de casamento de 24 anos (mínimo de 15 e máximo de 34). Já nessa fase, elas foram inseridas nas categorias de "casamento feliz" ou "casamento infeliz", depois analisadas conforme a auto-avaliação de cada uma. A escolha do universo feminino obedeceu ao seguinte critério: o tempo de casamento mínimo (15 anos) garante que o casal tenha ultrapassado os primeiros dez anos de vida conjugal, período caracterizado pelo delineamento da identidade do casal e que envolve o estabelecimento de regras que nortearão a vida conjugal. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para Vitória indicam que há maior probabilidade de separação no período compreendido entre quatro e nove anos de casadas. As mulheres, cujas identidades foram preservadas, passaram por uma média de três a quatro entrevistas semi-estruturadas, gravadas, abordando a história do casamento - desde o namoro, o início da união, o momento atual e a projeção para o futuro. Depois, receberam cópias de suas entrevistas e, ao iniciar uma nova entrevista, o pesquisador pode verificar se os textos haviam sido lidos e qual impacto causaram à autora. Os dados obtidos foram importantes para a pesquisa e seu detalhamento, mas chegar a eles significou superar barreiras básicas, como manter os encontros preestabelecidos com integrantes do grupo e garantir o número de mulheres inicialmente proposto para o estudo. "Das 30 mulheres, conseguimos entrevistar 20. Por envolver entre três e quatro encontros, muitas alegavam falta de tempo para participar ou ainda falta de vontade de falar sobre seus casamentos", diz Lúcia Garcia. A metodologia envolvia uma seqüência de encontros intermediados pela leitura que essas mulheres faziam do texto produzido por elas no encontro anterior. As histórias foram obtidas paulatinamente. "Os vários encontros permitiram uma proximidade crescente entre entrevistada e entrevistadora", afirma a pesquisadora. "Também definiu-se um processo reflexivo no qual as contradições eram explicitadas pelas entrevistadas e se tornavam alvo de novas reflexões."

Outra coisa: concluiu-se que as entrevistadas escolheram criteriosamenteos fatos a serem narrados, de modo que a manutenção de seu casamento fosse justificada. À medida que o material fornecido pelo grupo foi estudado, chegou-se a alguns indicadores importantes. Por exemplo, para oito entrevistadas prevalecia a estratégia direta como forma de tratar assuntos importantes ou delicados no casamento; quatro mulheres usavam a estratégia indireta; oito lançavam mão do uso combinado de estratégias diretas e indiretas.

Já os maridos, 13 deles utilizavam estratégias diretas e dois a dobradinha direta/indireta. E ainda, em cinco casos, revelou-se o uso da estratégia indireta - principalmente o silêncio ou o adiamento da busca de solução para algo que perturba o relacionamento do casal. Lamúrias e problemas Como nada é simples quando se fala em relações de amor/parceria/casamento, da correlação dos dados levantados chegou-se a diversos modos de agir. Por exemplo, mulheres que avaliam negativamente seu casamento demonstram que ocorreu uma quebra naquele almejado e romântico projeto inicial e usam estratégias indiretas de abordagem, muitas vezes evitando ou fugindo do diálogo. É como se dissessem "não adianta, não vai mudar" ou "ele não vai se comportar como desejo". Uma das entrevistadas mostrou que havia entre o casal uma comunicação calcada em lamúrias, ao mesmo tempo em que um não informava ao outro, adequadamente, os problemas existentes. Outra vivia aparentemente bem, mas expressou da seguinte maneira sua insatisfação: "Estávamos sempre juntos, mas não compartilhávamos nada, a não ser a casa, até que em determinado momento eu falei: ´A gente não conversa, a gente não sai um com o outro´. E ele: ´Talvez por isso estejamos juntos há tanto tempo´".

As mulheres que dizem ser felizes também se dividem em dois tipos. Há as que não identificam problemas de relação ou que associam os problemas apenas a pequenas questões do cotidiano ("o controle remoto", "o ronco", "o ar-condicionado", "o temperamento dele"). No outro grupo está a mulher que enxerga o problema, vive um conjunto deles e ainda assim afirma (ou acredita) que todos são gerenciáveis. "Eu acho que quando se conhece as pessoas com quem está se relacionando, que você quer que dê certo aquilo que está construindo, vamos ajeitando as coisas", diz outra mulher.

São vários os tipos de relacionamentos e formas de abordagem ou não-abordagem. Há quem se diga feliz com o casamento, porém insatisfeita com o relacionamento. Nesse caso, o hábito (ou a estratégia) pode ser abordar as questões sem dar a entender ao outro tal insatisfação.

Uma conseqüência é que, quando a mulher atinge o alvo (mudar o comportamento do parceiro), atribui o crédito ao outro e não a si. Veja o depoimento de mais uma mulher: "Eu gosto das coisas em pratos limpos logo, mas nem sempre a gente pode colocar as cartas na mesa e dizer... Nas horas boas, que a gente estava conversando, dava sempre uma charadinha, encaminhando para o assunto, mas sem demonstrar muito".Também é curioso saber como elas se referem ao comportamento do homem.

Algumas delineiam expectativas quanto ao papel sexual do parceiro. Outras indicam que existe uma similaridade de comportamento entre os dois: "Depois que passa, que a gente já voltou ao normal, falamos sobre o assunto. Mas não falamos quando estamos no meio do conflito. Porque eu acho que quando você fala com a cabeça quente pode dizer coisas que depois se arrepende. E ele tem também esse mesmo procedimento".

Ampliação dos papéis - O lar foi descrito como o espaço de expressão de todo afeto positivo que existe entre o casal. É o lugar ideal para a realização dos desejos de serem felizes, uma condição manifestada por todas as entrevistadas. Quanto a ter ou não problemas, isso foi associado ao tipo de vida e de situações pelas quais o casal passa: quanto mais perto do projeto de casamento idealizado, menor a possibilidade de haver problemas. Como, de maneira geral (e em razão de sua inserção socioeconômica), a sobrevivência material não aparece como problema, a questão do trabalho pode surgir em decorrência do momento, do ciclo de vida de cada uma. Por exemplo, com filhos era natural que elas ficassem em casa. Mas com o crescimento das crianças, não trabalhar fora tornou-se um problema. O trinômio mulher-esposa-mãe não só é bem aceito como almejado por muitas mulheres. Muitas vezes esse trinômio foi acrescido do item trabalho - exercido fora do lar e cuja renda veio incorporar-se à vida familiar. Dessa forma a mulher passa a ser, também, provedora financeira junto com o marido. Nada errado para ela, a não ser quando sua remuneração supera a do marido - afinal, entre contribuir e ser a provedora oficial, elas preferem a primeira situação. Também gostariam que os homens tivessem maior participação na organização doméstica, atitude que pode ser associada, assim, à de "provedor de afetos e cuidados".

Contornando e/ou enfrentando questões de vários tipos, as mulheres sinalizaram, por meio de suas histórias, a idéia de manutenção do casamento como questão central. Seria a realidade da mulher da Grande Vitória igual ou similar à das moradoras de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e de outras localidades? "Por falarmos de um tema comum e alvo de tantas reflexões na mídia, o que se evidencia é que as questões sinalizadas pelas entrevistadas ilustram todo um processo de mudanças que vêm incidindo sobre os casais", diz Eda. "Parageneralizar os dados, precisaríamos ampliar o estudo e englobar outras faixas etárias e localidades, projeto que pretendemos desenvolver no futuro."

Reportagem publicada na edição 50, publicada em novembro do ano 2000
Compartilhe





Um casamento deve ser um dia para lembrar para toda a vida.

Mas essa lembrança deve ser pelas melhores razões, não por ter ficado com uma dívida bem alta.
Um casamento se não for bem organizado pode chegar a valores muito altos.

Tendo alguns cuidados com pormenores podemos poupar muito dinheiro no casamento sem que a festa perca o glamour e charme.

1 – Fotografia

Uma das grandes despesas e a do fotógrafo. Além do custo base que tem (largas centenas de euros), os preços das fotografias não são nada convidativos.

Certamente terá um amigo com uma paixão pela fotografia e já com uma máquina bastante aceitável. Peça-lhe para fazer a reportagem do seu casamento e se for preciso, dê mesmo um valor simbólico pelo seu trabalho.

Uma vez depois com as fotografias em formato digital, pode gravar alguns Cd’s e no final da cerimónia entrega-los aos convidados.

2 – Convidados
É certo que num evento destes, queremos sempre convidar o número máximo de pessoas, afinal, queremos dizer a todos que queremos ficar com o nosso noivo/noiva para sempre. Mas isto tem um preço muito alto, por isso pense bem em quem vai convidar e opte por dar sempre prioridade à família mais próxima e aos amigos mais próximos.

3 – Prendas
É tradição os noivos oferecerem pequena prendas a quem foi ao casamento. Geralmente é charutos para os homens e peças mais engraçadas para as mulheres. Dê uma vista de olhos nas lojas da especialidade, tire ideias e faça os seus em casa.
É possível fazer prendas bem originais recorrendo a velas, pequenos cestos, papel especial… inove!

4 – Menu
Quem já foi a um casamento sabe a quantidade de comida que sobra, por isso pense bem no menu. Se por um lado é importante agradar aos convidados, por outro é preciso ser um pouco racional. Se vai ter mesa com bolos e fruta, opte por não ter uma sobremesa. A sopa pode ser só de uma qualidade e pode optar por algo mais em conta.

5 – Convites de Casamento
Opte por fazer os seus próprios convites de casamento, há centenas de modelos engraçados e elegantes na internet e pode facilmente adaptar e mandar imprimir num centro de cópias a um preço bastante razoável.

6 – Ajuda da Família/Amigos
Aproveite sempre a ajudar da família e a amigos para a organização do seu casamento. Assim deixa de ser preciso contratar um organizador de eventos. Os seus amigos e família podem fornecer ideias e mão de obra.

7 – Lua-de-Mel
Como diz o spot publicitário, “Portugal tem tanto por onde descobrir”. Aproveite as promoções das agências de Viagens para férias em Portugal.
Eu sei que Lua-de-Mel pede algo mais extravagante, mas nestes tempos é melhor pensar duas vezes.Mais ideias para começar um negócio lucrativo:


Oi gente!!! Bem vindos!!!


O tema desta semana é:


Ainda vale a pena se casar???



Breve mudança de Assunto Galera... daqui a alguns minutinhos!!!!!

pamela , um verso de amor

Pâmela-Desde o primeiro momento (Legendado)

Lauriete-( O Teu Olhar )

sábado, 16 de outubro de 2010

Deixe seu Comentario!!
Galerinha a Semana ja esta acabando, não deixe de nos contar sua história de amor a primeira vista, logo logo teremos outro assunto.... corra, queremos conhcer a sua história!!!!

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Amor a primeira vista... Será apenas uma força de expressão, ou uma cantada barata?? ou realmente é possivel amar a primeira vista?? e se for como acontece depois?? como saber o que o destino reserva... amar é um verdadeiro dom, uma dadiva, e o temor de não ser amado por muitas vezes nos induz a escolher a quem amar.... Escolher a quem amar??? será que temos esse poder???

O que pode ser tão atraente em alguem a ponto de despertar esse sentimento tão poderoso no primeiro olhar??


E vc ja se apaixonou a primeira vista... o que ocorre na segunda na terceira que amagica pode envolver estes olhares... Será que essa reação ocorre só com a mulher, ou o homem tambem pode ser atingido em cheio pelo estupido cupido?

Vote nas enquetes, conte sua história, sua visita é sempre um prazer

segunda-feira, 11 de outubro de 2010


Difícil falar porque te amo.
Se me perguntares não sei responder.
Coisas do coração para qual não temos resposta.
Mas se perguntares se te
amo?
Com toda certeza direi que sim.
Você é o amor que sempre procurei.
Ao ver-te...
Explosões de sentimentos,
encanto,alegria.
Foi
fantástico, inexplicável.
Mas aconteceu.
Tudo foi muito rápido.
Como
num passe de mágica.
Foi algo que fugiu do meu controle.
Meus olhos ao
verem os teus ficaram hipnotizados.
Fascinados pelo teu olhar.
Encantos
com o teu ser.
Meu pensamento só em você se pos a pensar.
Dia e noite.
Noite e dia.
Você mexeu comigo.
Mudou minhas atitudes.
Trouxe a
luz para meus dias frios.
Sorte encontrar alguém tão especial.
Foi algo
mágico.
Amor à primeira vista.
Não tem outra explicação.
Nunca tinha
sentido isto por alguém.
Estou feliz por ter encontrado você.
Meu maior
encanto.
Meu maior tesouro.
Meu maior prazer .
Eu te amo.
Meu
doce, lindo e verdadeiro amor.


domingo, 10 de outubro de 2010

Amor a primeira vista

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

Luís de Camões
O Amor está em todos os lugares.... Será possível encontrar o Amor, apenas no primeiro olhar!!!!

Jorge aragão Amor à primeira vista

Amor à primeira vista! O que fazer?

Existe amor à primeira vista?
Como explicar o que acontece quando conhecemos alguém e após apenas alguns minutos de conversa começamos a ficar pensando naquela pessoa, fazer planos, imaginar situações?

Não acredito. Acredito, sim, em tesão à primera vista.

Na maior parte das vezes, a emoção que se sente, nesse caso, não é a do amor verdadeiro nem a do desejo sexual perturbador.

O mais comum é que esse amor - em que não se conhece nada do outro - seja do tipo romântico.


Há quem questione se o amor à primeira vista pode ser duradouro. Na realidade, não faz muita diferença ser à primeira, à sexta ou à décima vista.

A questão é outra: a distância entre a pessoa real e a imagem que se formou dela. Quanto maior a idealização mais chance há de a relação tornar-se insuportável rapidamente.

A convivência diária impede-nos de manter a idealização e as características de personalidade do outro são percebidas, comprometendo a relação. Porém, isso não acontece somente no amor à primeira vista. Pode ocorrer em qualquer experiência amorosa, desde que se enxergue o outro através da névoa do mito do amor romântico.

E o que devo fazer?
Aproveite essa química pois apesar de acontecer todos os dias mas a oportunidade muitas vezes acontece uma vez só, e se você pode se perguntar para o resto da vida porque não tomou a iniciativa de se declarar, ou até mesmo de convidá lo para sair!

Mas o principal é reconhecer o outro tal como ele é, não como queremos que ele seja. Isso é possível apenas quando nos conhecemos o suficiente e aceitamos nós mesmos assim como somos, em vez de tentarmos nos completar com o outro.

A transformação de uma paixão repentina em algo duradouro requer profundas mudanças internas. Entretanto, quem vive uma paixão nega seus defeitos e carências, crendo apenas que está sendo o protagonista de um verdadeiro amor.

Muitas vezes ali pode estar a sua felicidade, então não fique de braço cruzados e vá luta!



Amor a Primeira Vista
Jorge Aragão
Composição: Flávio Cardoso/Luiz Cláudio Picolé
A primeira vez que te olhei
O meu coração disparou
E tão de repente eu notei
Que alguma coisa mudou...

Deu uma vontade
De me declarar
Posso até dizer
Que eu nunca senti...

Amor à primeira vista
Força dessa conquista
Fez a gente se revelar
Se isso for verdadeiro
Me entrego de corpo inteiro
Tenho tanto amor prá dar...(2x)

A primeira vez que te olhei
O meu coração disparou
Oh! Oh! Oh! Oh!
E tão de repente eu notei
Que alguma coisa mudou...

Deu uma vontade
De me declarar
Posso até dizer
Que eu nunca senti...

Amor à primeira vista
Força dessa conquista
Fez a gente se revelar
Se isso for verdadeiro
Me entrego de corpo inteiro
Tenho tanto amor prá dar...(2x)

Amor a Primeira Vista

Amor à primeira vista é ilusão ou verdade?

Somente um em cada dez casais afirma ter se apaixonado à primeira vista



As mãos suando frio e aquele friozinho na barriga são apenas alguns dos efeitos do doce, mas poderoso veneno, que levam as flechas do cupido quando estas nos atingem.



Segundo as estatísticas, somente um em cada dez casais afirma ter se apaixonado à primeira vista, mas mesmo que a impressão inicial não seja aquela que persista, não dá para descartar sua importância.

Se a primeira impressão foi boa, a medida que os encontros aumentam, crescem também o conhecimento, a familiaridade e há mais possibilidades de que isso se transforme em uma relação duradoura.

No lado oposto, se a primeira impressão foi negativa ou desfavorável, é preferível interromper o contato, deixar que se passe um tempo para que essa sensação se desfaça e, depois, tentar em uma nova oportunidade que a relação dê certo.

Do momentâneo ao amor duradouro
Se os sentimentos depois do primeiro encontro forem positivos, é possível conseguir que o amor chegue a um bom porto e que, assim, se transforme em uma relação mais profunda e duradoura. Mas há situações que levam ao fracasso e que fazem com que a relação desapareça tão rápida como apareceu.

Segundo especialistas, a urgência ou "ansiedade sentimental" por incluir alguém em nossa vida pula etapas necessárias do curso normal de uma relação.

Outra situação que leva a sofrer de urgência de amor é o desejo de querer substituir um fracasso amoroso.

O mais aconselhável é prestar atenção nas atitudes da outra pessoa, o que ela faz e diz. Faça uma pequena análise para montar os prós e contras, as diferenças de caráter, afeições e perspectivas.

Quanto dura a paixão?
Segundo algumas pesquisas, estamos programados para desapaixonarmos depois de 18 a 30 meses de relação. Nesse momento, os sentimentos podem terminar, mas também podem se transformar em uma união controlada pelo coração e a cabeça.

Para a psicóloga Isabel Menéndez, "quando se vive uma louca paixão, a pessoa identifica no outro o ideal de amor: é um estado de plenitude, em que entram em jogo as reações bioquímicas".

A flechada do cupido altera profundamente as pessoas e os protagonistas vivem algo mágico que lhes conduz a um estado de sublime bem-estar. O outro se torna a meta e estar ao seu lado faz a vida mudar de cor, pois ela é contemplada pelo filtro do amor.

Depois da idealização
A pessoa flechada terá que passar por várias provas para que a paixão não se extinga depressa. A principal é reconhecer o outro tal como ele é, não como queremos que ele seja. Isso é possível apenas quando nos conhecemos o suficiente e aceitamos nós mesmos assim como somos, em vez de tentarmos nos completar com o outro.

A transformação de uma paixão repentina em algo duradouro requer profundas mudanças internas. Entretanto, quem vive uma paixão nega seus defeitos e carências, crendo apenas que está sendo o protagonista de um verdadeiro amor.

"Para que um flerte se transforme em amor, é fundamental que o casal aceite as carências", adverte Isabel Menéndez.



EFE
Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010



DO AMOROSO ESQUECIMENTO
Eu, agora - que desfecho!
Já nem penso mais em ti...
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?

Mário Quintana
POEMINHA AMOROSO







Este é um poema de amor


tão meigo, tão terno, tão teu...


É uma oferenda aos teus momentos


de luta e de brisa e de céu...


E eu,


quero te servir a poesia


numa concha azul do mar


ou numa cesta de flores do campo.


Talvez tu possas entender o meu amor.


Mas se isso não acontecer,


não importa.


Já está declarado e estampado


nas linhas e entrelinhas


deste pequeno poema,


o verso;


o tão famoso e inesperado verso que


te deixará pasmo, surpreso, perplexo...


eu te amo, perdoa-me, eu te amo..."






Cora Coralina
Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.







Paulo Freire
Triângulo amoroso é uma beleza não é mesmo? O que eu mais gosto nisso, é que pelo menos duas pessoas saem feridas.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

FRASES CLICHÊS DOS TRIÂNGULOS AMOROSOS





Se vc ja fez parte de um triangulo amoroso com certeza ja usou umas dessas frases!!!

Econtre a sua kkkkk

FRASES CLICHÊS DOS TRIÂNGULOS AMOROSOS
* “Eu tenho um relacionamento, mas ele está muito ruim, quase no final mesmo.”
* “Eu me envolvi com você sem querer…”
* “Eu não sou casad@, só moro junto. ”
* “Juro que não é só sexo, eu gosto de você como amiga também.”
* “Não quero te iludir.”
* “Você é especial.”
* “O que eu faço?!?”
* “Não quero magoar ninguém…”
* “Você me seduziu, eu não tive saída, quem manda ser tão maravilhos@? ( Ou gostos@, ou lind@, ou qualquer coisa do tipo )”
* “Eu só estou esperando uma oportunidade para conversar com ele(a)…”
* “Eu estou com ele(a), mas é de você que eu gosto.”
* “É que agora ela(e) está fragilizado porque perdeu o emprego ( ou alguém morreu, ou o cachorrinho de estimação sumiu, ou algo do tipo ).”
* “Estou confus@, não sei o que fazer…”
* “Estou tomando coragem. ”
* “Eu tentei conversar com ele(a), mas ela chorou e eu fiquei com pena. ( ou tentou se matar, ou ameaçou, ou teve crise de depressão, ou qualquer variação nesse sentido )”
* “Me dá só mais um tempinho, já estou quase me separando.”
* “Não posso terminar meu relacionamento porque ela(e) gosta muito de mim, e sofreria demais se eu a deixasse… ”
* “Ela(e) é dependente de mim, você não, você é tão melhor, e admirável…”
* “Eu poderia ter mentido, mas fui sincer@…”
* “Eu não te contei antes porque tive medo de te perder… Mas eu ia te contar.”
* “Se você me pressiona, eu não consigo ficar calm@ pra resolver tudo.”
* “E se eu me separar, quem garante que com você vai dar certo? Vamos dar mais um tempo pra ver…”
* “Sabe, essa nossa sociedade patriarcal capitalista precisa da monogamia para garantir a propriedade, mas na verdade, o homem é um animal poligâmico, e… ”
* “Se você terminar o seu relacionamento, eu termino o meu.”
* “Não tenho esse direito, mas morro de ciúme de você.”
* “Eu não estou diferente, é impressão sua, querid@, só fiquei trabalhando até mais tarde.”
* “Não sei de quem é esse telefone, deve ter sido mensagem errada, essas companias telefônicas não prestam.”
* “Ainda que eu tivesse outr@, você sabe que @ preferid@ é você.”
* “Foi só sexo… ”
* “Se você não confia em mim, fica difícil.”
E a campeã:
* “É complicado, é tudo tão relativo… Não dá pra decidir nada, assim, tenho que pensar bem.”
Infinitos tsc tsc.
O que fazer com um coração dividido entre dois amores??

Amar duas pessoas ainda é amor??
Conte-nos sua experiencia
A Saga Crepusculo, bem como outras produções relatam em seu enredo a dúvida de umas das personagens, que se sente dividida entre dois amores... vc acha que isso é possivel na vida real? Vote em nossa Enquete

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Ne-yo - Mad legendado

Ne-yo - Mad legendado

Não permita que os aborrecimentos da vida retirem de seus labios as palavras de amor para a pessoa amada

Filtro Solar (Sunscreen)- Pedro Bial

Nesta manhã

Tive uma noite ruim... um sentimento de insatisfação... fraqueza.... incertezas... sentimentos que ofuscaram meu olhar... mas esta manhã ao acordar percebi a importância deste ato... abrir os olhos pisar os pés no chão caminhar e acreditar que as coisas ainda podem sim dar certo...

Acreditei mais uma vez no amor... na beleza da vida, na vontade de lutar pelo que quero e acredito, e que meus problemas insatisfações e incertezas são passageiros assim como alegria tbm é
"Não ha mão que sempre dure, nem bem que nunca se acabe".

Não existe vida feliz ou triste... a vida é feita de momentos bons e ruim e a diferença é o valor que damos a estes momentos...

Portanto nesta manhã, acordei acreditando que... Os bons momentos, aquele que nos trazem o sorriso, que nos alegram alma... merecem ser guardados para alimentar a vontade de viver quando nós estamos passando por momentos de tristeza...

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Não sabes crianças? 'Stou louco de amores...
Prendi meus afetos, formosa Pepita.

Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!
Não rias, prendi-me
Num laço de fita.
Na selva sombria de tuas madeixas,
Nos negros cabelos da moça bonita,
Fingindo a serpente qu'enlaça a folhagem,

Formoso enroscava-se
O laço de fita.
Meu ser, que voava nas luzes da festa,
Qual pássaro bravo, que os ares agita,
Eu vi de repente cativo, submisso
Rolar prisioneiro

Num laço de fita.
E agora enleada na tênue cadeia
Debalde minh'alma se embate, se irrita...
O braço, que rompe cadeias de ferro,
Não quebra teus elos,
Ó laço de fita!

Meu Deus! As falenas têm asas de opala,
Os astros se libram na plaga infinita.
Os anjos repousam nas penas brilhantes...
Mas tu... tens por asas
Um laço de fita.
Há pouco voavas na célere valsa,

Na valsa que anseia, que estua e palpita.
Por que é que tremeste? Não eram meus lábios...
Beijava-te apenas...

Teu laço de fita.
Mas ai! findo o baile, despindo os adornos

N'alcova onde a vela ciosa... crepita,
Talvez da cadeia libertes as tranças
Mas eu... fico preso
No laço de fita.
Pois bem! Quando um dia na sombra do vale
Abrirem-me a cova... formosa Pepita!

Ao menos arranca meus louros da fronte,
E dá-me por c'roa...
Teu laço de fita.

Castro Alves
A geração romântica

Como a série Crepúsculo reformulou, para os adolescentes de hoje,
o ideal do amor romântico – aquele ancorado num laço sublime,
e não no desejo carnal

Um homem difícil de encontrar
É nas telas do cinema – ou melhor, em Edward, o vampiro-galã de Lua Nova – que a estudante Mariane Rodrigues Monteiro, de 14 anos, busca inspiração para o seu próximo e tão sonhado romance. "Espero ser tratada como Bella – com proteção, respeito e responsabilidade. Toda mulher sonha encontrar alguém de jeito doce e cativante. Alguns meninos até tentam alcançar essa perfeição, mas quem consegue?", diz.


Ah, o amor... Como diria o compositor Cole Porter, até "moscas bem-comportadas" se apaixonam. Mas, ao contrário das moscas, que conhecem uma única dança de acasalamento, o homem desenvolveu mil maneiras de expressar culturalmente essa emoção. O amor romântico foi uma de suas invenções mais notáveis. Sim, invenção, como demonstram fartamente críticos e historiadores. "Ele nasceu no Ocidente, muito ligado a obras de arte, e projeta uma relação especial entre duas pessoas, mais sublime e menos pautada pelo desejo sexual", diz William Reddy, professor de história e antropologia cultural da Universidade Duke, nos Estados Unidos, e especialista nesse tema. Ao longo de séculos, a literatura teve um papel fundamental na criação da ideia de amor romântico. Os trovadores medievais foram os primeiros, nas delicadas cantigas que dedicavam às damas da corte. O conceito se cristalizou no século XIX, no movimento propriamente batizado de romantismo. O livro-marco é Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe, história de uma paixão tormentosa e não consumada. Mais do que retratar um comportamento já disseminado, Werther levou toda uma geração de jovens a sentir o mundo em seus termos (o efeito colateral indesejável foi a epidemia de suicídios que varreu a Europa – já que esse era o destino do protagonista). Algo semelhante se observa atualmente em torno da saga vampiresca Crepúsculo. Os quatro romances da escritora americana Stephenie Meyer, e os dois filmes até agora baseados neles, deram a senha para que o espírito romântico de adolescentes e pré-adolescentes abrisse suas largas asas na era carnal do "ficar".

Os protagonistas de Crepúsculo com-põem um casal incomum (e, se você não sabe, convenhamos, é porque é um pai ou uma mãe demasiado ausente): uma jovem meio desajeitada, Bella, e um vampiro espectralmente belo e apaixonado, Edward, que move, se não o sol, ao menos a lua e as estrelas por sua amada. Na trama, o morto-vivo tem mais de 100 anos e, portanto, é cavalheiro como o homem de antigamente. Apesar do desejo incontrolável (Edward é perdidamente atraído pelo cheiro da amada), ele não avança o sinal vermelho: sua família abdicou do sangue humano. No cinema, Bella é interpretada pela atriz Kristen Stewart, enquanto o vampiro-gato com jeitão de estrela de rock ganhou as feições do ator Robert Pattinson. As meninas enlouquecem quando ele surge na tela. Todas são um pouco Bella, a mocinha de beleza simples e humana, mas capaz de atrair o coração imortal. Todas querem um Edward para chamar de seu.


Todos querem ser eles
Edward e Bella, os protagonistas de Lua Nova: a saga do vampiro e da mortal arrebata os jovens corações

Por trás do sucesso de Crepúsculo não está nem a boa literatura nem a qualidade dos filmes – que agradam só ao público a que se dirigem. O pulo do gato da autora Stephenie Meyer foi combinar, de maneira muito eficaz para consumo adolescente, os principais elementos da tradição romântica: o amor devotado e imortal, que atravessa tormentas e não precisa se consumar no sexo; o homem que protege, salva, cuida, espera... Está tudo ali, para ler e ser visto, com força suficiente para libertar o romantismo de uma geração de adolescentes que aparentemente (e só aparentemente) parecia desprezá-lo. "Garotos e garotas participam de uma espécie de corrida, para ver quem beija mais ou quem fica mais", diz a psicanalista Diana Corso. "Mas há também o movimento inverso, a busca por um amor em que eles possam se sentir desejados."

Com a revolução sexual dos anos 60, muitos acreditavam que o amor romântico teria chegado ao fim – como se ele fosse somente o efeito colateral de séculos de condenação do desejo pelo cristianismo. "Depois da década de 80, no entanto, o amor romântico teve uma volta significativa", diz o professor Reddy. "Acho que é porque o desejo não é suficiente para estruturar uma vida e pode até se tornar tedioso quando exercitado sem nenhuma rédea." Uma vida cheia de namorados e namoradas é exaustiva, impessoal, solitária. Os efeitos de Crepúsculo se dão sobre uma geração que tem próximos de si exemplos desse tipo de comportamento. Justamente por isso, pode ser mais conservadora em relação a valores morais e à instituição do casamento, como mostra, por exemplo, uma pesquisa sobre o pensamento dos jovens realizada neste ano, no Brasil, pelo instituto Research International. "É como se eles vissem no casamento um ato de heroísmo, dadas as dificuldades que presenciam na vida real dos pais em criar filhos e manter um casamento de longo prazo", diz o professor Reddy.



Juntos para sempre

No romance adolescente há sempre a promessa de amor eterno. Giulianna Gaspareto, de 15 anos, e Pedro Garcia, de 14, já se conheciam havia alguns meses quando rolou o primeiro beijo. A data é comemorada todo dia 7, desde aquela tarde de sábado, em fevereiro. Três meses depois, Pedro pediu dinheiro ao pai e comprou alianças de compromisso. "Quando ela viu os anéis, seus olhos brilharam", lembra Pedro. No Orkut de ambos, mensagens do tipo ‘juntos para sempre’ e ‘eu te amo, meu bebê’. Além dos bilhetinhos virtuais, eles trocam cartas de amor, escritas a mão, como antigamente. "Ele escreve coisas tão lindas...", derrete-se Giulianna

Os quatro livros da série Crepúsculo venderam 85 milhões de exemplares no mundo. No Brasil, foram 2,9 milhões. Os dois filmes renderam juntos 1 bilhão de dólares. A saga escrita por Stephenie Meyer continua a arrebatar os jovens corações com o segundo filme da série, Lua Nova, que teve uma estreia arrasadora nos cinemas do país. Só no fim de semana de seu lançamento, no final do mês passado, levou 1,4 milhão de espectadores às salas de exibição. E já faturou 40 milhões de reais no Brasil. Ah, o amor... "Que move o sol e as estrelas", segundo Dante Alighieri; "A ferida que dói e não se sente", nos versos de Luís de Camões; "É cego e os amantes não podem ver as deliciosas loucuras que eles cometem", de acordo com William Shakespeare. É muito provável – infelizmente, quase certo – que os adolescentes que alimentam esse sucesso jamais tenham lido uma dessas linhas clássicas sobre o amor. Mas o espírito que transpira dos versos imortais, de um romantismo que, em diferentes medidas, a tudo abarca e suplanta, está bem vivo no seu coração.

Delicado e perigoso
Bruno Fraga Teixeira é um daqueles adolescentes que cultuam filmes e séries sobre vampiros. "Os da saga Crepúsculo são especiais, perfeitos", diz ele. "São vampiros discretos e têm classe, o que é uma fonte de inspiração para mim." No romance entre Bella e Edward, o que o atrai é um amor delicado e ao mesmo tempo perigoso. "Edward é o predador e mesmo assim ele resiste aos seus instintos selvagens em nome do amor. É o romance perfeito. Com todos os perigos que rondam, ele oferece a ela total proteção. Acho que esse é o sonho de todos os homens"

Com reportagem de Daniela Macedo e Gabriella Sandoval
Quero

Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo.

Ouvindo-te dizer: Eu te amo,
creio, no momento, que sou amado.
No momento anterior
e no seguinte,
como sabê-lo?

Quero que me repitas até a exaustão
que me amas que me amas que me amas.
Do contrário evapora-se a amação
pois ao não dizer: Eu te amo,
desmentes
apagas
teu amor por mim.

Exijo de ti o perene comunicado.
Não exijo senão isto,
isto sempre, isto cada vez mais.
Quero ser amado por e em tua palavra
nem sei de outra maneira a não ser esta
de reconhecer o dom amoroso,
a perfeita maneira de saber-se amado:
amor na raiz da palavra
e na sua emissão,
amor
saltando da língua nacional,
amor
feito som
vibração espacial.

No momento em que não me dizes:
Eu te amo,
inexoravelmente sei
que deixaste de amar-me,
que nunca me amastes antes.

Se não me disseres urgente repetido
Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.


Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Crepusculo - Edward e Bella - halo (tradução)Beyoncé


DE QUE VALE A INTENSIDADE DOS OLHOS... SE ELES SE FECHAM, A MEDIDA EM QUE OS LÁBIOS SE ENCONTRAM???
O que sentimos quando amamos??

Quem pode explicar a sensação de sentir o toque da pessoa amada, de ouvir a canção da voz, de viajar no brilho dos olhos...

Quem pode explicar?

Quem pode prever?

Quem pode impedir?

Quem pode escolher?

Nós... meros mortais, completamente sujeitos as fraquezas que nós mesmos criamos??

Não ha explicação... portanto, por que peder tanto tempo, tentando entender o que não precisa ser entendendido , apenas vivido...

Viva!
Sonhe!
Dance!
Ria!
Corra!
Brinca!
e fale sempre Eu te amoooooooooo!!!!

Ame.... simplesmente ame!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 5 de abril de 2010




Quantas pessoas neste mundo cheio de violência, desigualdade, egoísmo ainda acreditam no Amor??? Falo do Amor real, aquele de primeiro olhar, que arrepia, que constrange, que tras saudade... Aqueles que ainda acreditam, faço um pedido... Não deixem de acreditar, nem mesmo diante das maiores decepções... Aqueles que um dia acreditaram, fechem os olhos e lembrem de todos os sonhos e sensações que foram sentidas durante um ato de amor... E a vocês que nunca acreditaram... Ei... abram seus olhos atentamente pois o amor pode estar ao seu lado!!!
Amor não é se envolver com a pessoa perfeita,
aquela dos nossos sonhos.
Não existem príncipes nem princesas.
Encare a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando suas qualidades, mas sabendo também de seus defeitos.
O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.